A invenção da borda recheada

Os italianos, responsáveis pela inserção da pizza no cardápio de países de todo o mundo, são conhecidos por preparar pães e massas recheados com todo tipo de sabor que se possa imaginar. Mas, em tese, a borda de pizza recheada não veio da Itália. Tradicionalistas, até mesmo a grande maioria dos sabores de pizza que comemos hoje sequer podem ser encontrados em solo italiano.

Mas então, quem inventou a borda recheada? O que parece ser uma invenção típica de brasileiros (não se encontra a borda de pizza recheada mundo afora) pode ter sido criação de um filho de libanês. O empresário Rubens Augusto Júnior, filho de mãe libanesa e fundador da marca que hoje é uma bem-sucedida franquia, a Patroni Pizza, começou no ramo há cerca de 30 anos.

Rubens abriu sua primeira loja em 1984, sendo formado em economia e funcionário da Companhia Energética de São Paulo (CESP), onde trabalhou até 1997. Sua rotina era extenuante: pai e cunhado cuidavam do negócio até as 18h00, quando Rubens chegava do trabalho (para trabalhar mais) e seguia na pizzaria até meia noite. Quando deixou a CESP, Rubens já possuía três lojas.

A inventividade e criatividade do empresário daria origem posteriormente a uma poderosa rede de franquias, hoje com lojas em diversos shopping centers no país. A Patroni hoje conta com cerca de 150 lojas e é uma das maiores redes de pizza do país.

Mas volta à borda de pizza, essa teria sido apenas uma das grandes invenções do empresário, que também foi um dos primeiros a oferecer o já comum rodízio de pizzas. A borda de pizza foi uma das estratégias do empresário para modificar e sofisticar seu produto sem adicionar enormes custos de produção ao item. Apesar de parecer “caro” para algumas pizzarias que ainda não oferecem esse extra, a verdade é que o volume de recheio ou adicional que vai nas bordas é pequeno, e não chega a apertar a margem do produto, mesmo porque a maioria das lojas que oferecem esse item cobra de R$ 4,00 a R$ 10,00 pela borda com catupiry, cheddar, mussarela e outros sabores.

O resultado, até agora, parece ser lucrativo: pizzarias arranjaram um pequeno adicional de renda em seus produtos, quando não um forte apelo de marketing e os consumidores, aqueles mesmos que atiravam as bordas das fatias no “pratinho do lado”, limpam o prato inteiro sem fazer cara feia.

fonte: http://www.ecomanda.com.br/blog/borda-de-pizza-diferenciada